Planejamento No Comércio Varejista

7 erros mais comuns de Planejamento no Comércio Varejista

No comércio varejista, muitos empresários mergulham no mundo dos negócios muito mais com otimismo do que com planejamento. Fazer um plano de negócios é uma das etapas fundamentais, tanto para a abertura como para a manutenção de um negócio, no entanto, ela ainda é negligenciada por alguns empreendedores.

É muito melhor errar no papel do que errar no mercado, você não concorda? Por isso, a principal função de um plano de negócios é servir como simulação da operação do seu estabelecimento, testando diversos cenários e descobrindo as dificuldades que poderiam surgir a partir deles.

No artigo de hoje, reunimos os sete erros mais comuns de planejamento no comércio varejista e que podem comprometer o crescimento do seu estabelecimento. Confira!

Erro #1: Focar apenas no produto e não no mercado

Muitos lojistas acabam estagnados no mercado por acreditar teimosamente que determinada linha de produtos é uma boa aposta, mesmo que as vendas e os feedbacks dos clientes demonstrem justamente o contrário.

Alguns ramos do comércio varejista, como o de roupas, calçados e acessórios, por exemplo, precisam de renovação constante para se manter relevantes. Não dá para ficar com um produto específico muito tempo na vitrine.

Dessa forma, para obter lucro, um empresário que está no ramo do comércio varejista não deve ditar qual o melhor produto que o mercado tem que comprar, ele deve ouvir as exigências e necessidades de seu mercado de interesse.

Erro #2: Não estudar o potencial de mercado do comércio varejista

Ao abrir uma loja, ou novas filiais, o empresário precisa estudar o potencial de mercado na localidade escolhida. Dependendo do ramo de atuação, alguns fatores podem potencializar as vendas, como abrir o negócio próximo de centros comerciais, academias, faculdades, entre outros.

Outra dica é abrir um negócio próximo de outro que seja de um segmento parecido com o seu. Por exemplo, pense na possibilidade de abrir uma loja de calçados próxima de uma loja de roupas. Isso estimula o cliente que acaba de sair de uma loja a entrar em outra complementar para conferir mais produtos que podem combinar com suas compras recém-feitas.

Erro #3: Não estar atento às mudanças do mercado

O comércio varejista precisa acompanhar as tendências do mercado e se adaptar constantemente aos novos paradigmas tecnológicos que se apresentam, com produtos e serviços mais especializados e personalizados.

Um exemplo clássico de segmento que ficou datado é o de aluguel de fitas VHS e DVDs. Com a popularização do mercado de streaming de vídeo na internet, esses segmentos raramente funcionam nos dias de hoje.

Erro #4: Padronizar metas em todas as filiais

Quanto maior o número de unidades de uma empresa, mais comum se torna o proprietário querer padronizar vários aspectos do seu negócio, inclusive as metas de vendas.

No entanto, ele esquece que diferentes regiões podem atingir diferentes públicos. Para fazer previsões de metas mais acertadas, é preciso colher mais informações sobre o público-alvo em cada uma dessas localidades e avaliar o histórico de desempenho de sua filial, identificando oportunidades locais para serem exploradas.

Erro #5: Escolher um sócio errado

O melhor sócio é aquele que tem a responsabilidade e o empenho de ajudá-lo naquilo que for preciso. Um sócio não é um funcionário que você pode demitir no primeiro desentendimento.

É preciso saber quem é a pessoa que está do outro lado da mesa para não gerar expectativas equivocadas. Também é importante que exista uma boa sincronia entre ambas as partes, e que cada uma esteja ciente de suas responsabilidades.

Prazos podem ser perdidos quando não existe uma boa comunicação entre os sócios, podendo frustrar a parceria e até minar o seu estabelecimento comercial.

Erro #6: Não contratar um gerente e um contador especializado

Embora seja ótimo que o dono de uma loja tenha contato direto com seus funcionários e clientes, ele não pode fazer o trabalho de duas ou três pessoas.

Sua loja precisa de um dono e, também, de um gerente e de um contador. No dia a dia de um comércio varejista, além das inúmeras tarefas de administração e tomada de decisões para crescimento do negócio, você teria que resolver múltiplos problemas de sua equipe de vendedores, atender clientes satisfeitos e insatisfeitos, além das questões financeiras e contábeis que só podem ser resolvidas por um profissional especializado em contabilidade para o comércio varejista.

Erro #7: Não estudar o básico

Você não precisa ser um especialista em finanças empresariais, mas conhecimentos básicos são fundamentais para qualquer dono de um comércio varejista.

O proprietário precisa saber conceitos básicos, como cálculo de margem de lucro, fluxo de caixa ou giro de estoque. Também é preciso conhecer a legislação do seu segmento de atuação para evitar surpresas (e custos) indesejáveis. Para isso, é importantíssimo contar com o apoio de uma assessoria contábil.

Um bom investimento com retorno garantido é fazer um curso sobre finanças empresariais a fim de desenvolver uma visão mais ampla do negócio, e que irá ajudá-lo nas futuras decisões estratégicas de seu comércio varejista. E logicamente, contratar um contador, o melhor parceiro para o seu comércio varejista ser um sucesso!

E você, já cometeu algum desses erros de planejamento no seu comércio varejista? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.